Lamb Of God é “boomer rock”? Guitarrista Mark Morton responde

O Lamb of God é “Boomer Rock”? Essa dúvida foi levantada na mídia social X (anteriormente Twitter), quando começou uma discussão sobre música ao vivo e o uso de tocar com um click track. O guitarrista Mark Morton estava online e presente, oferecendo uma resposta bem humorada quando um de seus seguidores sugeriu que a banda havia se encaixado na categoria “Boomer Rock”.

Antes de chegar a Morton, no entanto, o fio já se estendia. Tudo começou com David Draiman, do Disturbed, mais uma vez usando o palco do show para expressar seu apoio e respeito pela estrela pop Taylor Swift. Ele respondeu aos fãs quando vaiarm a artista, dizendo à sua plateia que “ela está garantindo que uma geração inteira de novos fãs de música entenda o que significa realmente tocar música ao vivo.”

Isso levou Eddie Trunk, apresentador de rádio, a twittar: “Concordo 100% com @davidmdraiman nisso! QUALQUER artista nos dias de hoje que faz um show ao vivo que é verdadeiramente (pelo menos predominantemente) ao vivo, eu respeito. Porque, infelizmente, tantos não são, e os fãs estão pagando para ouvir arquivos de computador, e isso é patético!!”

O tweet não agradou o vocalista do All That Remains, Phil Labonte, que entrou na conversa para responder ao tweet de Trunk, observando: “Numa era em que computadores e eletrônicos fazem parte da música desde a concepção até a execução, isso parece coisa de ‘velho gritando para as nuvens'”.

É aí que entra Morton, o guitarrista do Lamb of God, oferecendo uma resposta mais neutra a toda a discussão, explicando: “Cada um tem o seu… Nós nem tocamos com um click ao vivo… E meus amplificadores têm válvulas… Mas eu não acho que alguém seja ruim se decidir usar faixas para melhorar o show… Faça o que quiser.”

Em resposta, Labonte disse: “Sim, apenas ter uma opinião forte sobre isso parece estar lutando contra o futuro. Você não precisa, mas criticar as pessoas que o fazem significa que você vai acabar criticando muitas pessoas legais, talentosas e criativas.”

O fato do Lamb of God não tocar com um click track pareceu surpreender vários seguidores nas redes sociais. “Espera. Nenhum de vocês toca com um Click??? O Art [Cruz, baterista] pelo menos deve, certo? Um Click nos ouvidos muda a vida”, observou um seguidor, com Morton respondendo: “Sem clicks. Nós só tocamos.”

Ao que um seguidor respondeu: “Lmao, acho que vocês acabaram de ser expostos como boomer rock”, mas Morton teve uma não deixou barato: “Ted diz que o Lamb of God é ‘boomer rock’ porque não dependemos de um metrônomo digital em nossos ouvidos para nos manter no tempo uns com os outros quando tocamos. O que você acha? Eu suspeito que o Ted talvez não seja músico… O Lamb pode muito bem ser boomer rock… mas não é porque não usamos clicks.”

Um dos seguidores de Morton veio em sua defesa, afirmando: “Se o LoG fosse uma banda de prog, eu poderia entender por que essa crítica… mas vocês nunca se pintaram no lado progressivo do metal.” E mais uma vez mostrando seu senso de humor, o guitarrista afirmou: “Somos metal ‘glunker‘, homem das cavernas, caixa de 12 latas de Natural Light Ice jogando dardos no parque de trailers”, ele respondeu.

A discussão sobre o click trackc continuou, com seguidores perguntando “Você tem que ter algum mecanismo de tempo, certo? Você tem que estar contando partes ou algo assim”. Isso gera mais uma resposta engraçada de Morton: “Eu tenho um baterista se é isso que você quer dizer… mas eu argumentaria que ele toca para mim tanto quanto eu toco para ele… A coisa sobre nossa banda é que tocamos juntos em vez de apenas tocar ao mesmo tempo.”

E aí, o que você acha de toda essa discussão? Lamb Of God é realmente “Boomer Rock”? Usar computadores está ou não permitido?

Deixe sua opinião nos pontos abordados nos comentários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *