Celebrando 28 anos de “Roots” do Sepultura

O incrível álbum que colocou uma veia brasileira no metal internacional faz aniversário! Hoje são 28 anos de “Roots”, e vamos retroceder no tempo e desvendar a jornada que deu origem a essa obra-prima do metal brasileiro.

Na Selva: Índios Xavante e a Sessão de Gravação Espiritual

O grito desafiador de Max Cavalera em “Roots Bloody Roots” não foi apenas uma afirmação; foi um brado de batalha. Antes desse hino, o Sepultura já flertava com suas raízes brasileiras em “Kaiowas” de ‘Chaos A.D.,’ preparando o terreno para o ataque sônico tribalesco que se tornou ‘Roots.’

Imagine o Sepultura no coração da selva brasileira, colaborando com uma tribo indígena chamada de Xavante. O resultado dessa experiência completamente fora da caixinha para a época são faixas cruas e primais como “Itsari” e a épica “Canyon Jam.”

Picadas de mosquito em toneladas, baterias de carro e uma plateia intensa de 200 índios ouvindo – esta não foi uma sessão de gravação comum.

Raiva que Impulsiona a Criatividade: ‘Straighthate’ e os Tempos Turbulentos

As lutas pessoais de Max Cavalera, suas prisões e um quase encontro com a morte em um show do Rage Against the Machine infundiram ‘Roots’ com uma energia crua e visceral. “Straighthate” emergiu como um hino fervoroso contra as pressões sociais, tornando-se uma das faixas mais intensas do álbum.

Caos Colaborativo: A Criação de um Álbum Aventuresco

O Sepultura não parou nas batidas tribais; eles trouxeram pesos pesados como Mike Patton, Jonathan Davis e DJ Lethal para uma jam selvagem no estúdio. Um álbum que desafia categorizações, misturando agressividade com ousadia experimental, tornando ‘Roots’ uma montanha-russa musical.

Estreando em 27º lugar nas paradas da Billboard e certificado ouro em 2005, ‘Roots’ solidificou seu lugar na história do metal. No entanto, também marcou o fim de uma era, já que Max Cavalera deixou a banda em 1996. Desentendimentos sobre mudanças de produção e gerenciamento levaram a uma década de desavenças entre os irmãos Cavalera.

28 anos de ‘Roots‘: Um Legado Musical Duradouro

Enquanto celebramos o 28 anos de ‘Roots’, saudamos o Sepultura pela audácia de quebrar barreiras e redefinir o metal. A mistura de influências brasileiras, colaborações inesperadas e experimentação destemida faz de ‘Roots’ uma obra-prima atemporal. ‘Roots’ não é apenas um álbum; é uma declaração sonora que continua ecoando pelos anais do heavy metal.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *