Burzum vende camiseta de Kanye West vestindo camiseta do Burzum

Numa reviravolta bizarra, os mundos do hip hop e do black metal colidiram quando o rapper Kanye West foi visto usando uma camiseta do Burzum.

O fator de choque intensificou-se quando Kristian “Varg” Vikernes, o polêmico criador do Burzum, expressou sua aprovação à escolha de moda de West – e ainda fez um merchandising em cima do fato.

A Inusitada Declaração de Moda de Kanye – a Camiseta do Burzum

Kanye West, hoje Ye, é conhecido por suas declarações problemáticas e letras controversas. Hoje o polemizador acrescentou mais uma camada à sua lista de atitudes deploráveis ao usar uma camiseta do Burzum.

A camiseta apresentava o logotipo da banda de black metal norueguesa e um retrato de Varg Vikernes, uma figura com uma história obscura envolvendo assassinato, racismo e incêndios de igrejas.

Elogios Inconvencionais de Varg Vikernes

Vikernes, que passou 16 anos na prisão pelo assassinato de seu companheiro de banda e por ataques incendiários a igrejas, surpreendeu zero pessoas com sua resposta positiva.

Ele afirmou que West não estava copiando a estética do black metal, mas se inspirando no Burzum. Num conjunto de tweets, Vikernes elogiou a “coragem” de West ao usar uma a camiseta, apesar de reconhecer o potencial de reações negativas na indústria musical.

A definição de coragem de Vikernes levantou sobrancelhas. O “músico” de black metal sugeriu que usar um certificado de escrotidão em público enfrentava consequências sociais. Ele chegou a insinuar um controle por um misterioso “grupo” na indústria da música.

Talvez seja só um mínimo de educação e bom senso mesmo.

A camiseta da camiseta do Burzum

Aproveitando a oportunidade, Vikernes capitalizou a controvérsia endossando uma camiseta apresentando Kanye West usando uma camiseta do Burzum. A camiseta simboliza a colaboração óbvia de ideias repugnantes, que precisam se aliar para tentar sobreviver.

O entendimento entre dois antissemitas é o que faz possível essa colaboração, que fala muito mais sobre política e visão de mundo do que da arte em si. Vemos Kanye West demonstrando sua incoerência com a realidade, extremismo e truculência, incorporados pelo Burzum há anos.

História de Kanye com o Burzum: Uma Conexão Mais Profunda

Esta não é a primeira vez que Kanye West flerta com a influência do Burzum. Em 2016, ele colaborou com Gucci Mane na faixa “P*ssy Print”, que usava uma música do Burzum. Além disso, seu álbum “Vultures”, tem inspirações visuais nas capas de álbuns do Burzum.

Podemos dizer com tranquilidade que o que motiva essa conexão não são os horizontes artísticos que o som de cada um desses “artistas” pode acarretar. O que une suas ações são posições preconceituosas, ódio e intolerância, e uma agenda que felizmente já não condiz com o mundo em que vivemos.

Letras Controversas e Acusações Antissemitas

A associação de Kanye West com comentários e sentimentos antissemitas não é algo novo. Uma das letras no álbum recente de West é “Louco, bipolar, antissemita/E eu ainda sou o rei”, o que não é surpreendente considerando alguns comentários recentes como “Eu gosto do Hitler” e “Precisamos parar de criticar os nazistas o tempo todo.”

Portanto, o que podemos fazer em uma situação como essa é usar de lição. Continuar dando palco para pessoas idiotas não parece ser uma boa opção para um mundo à beira de colapsos políticos, sociais, econômicos e ambientas. Só uma opinião.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comments